7 sinais de que é hora de trocar os móveis de escritório

Em meio às dificuldades do dia a dia, nem sempre é fácil perceber os sinais de que é preciso mudanças na estrutura da empresa. Ainda mais quando a necessidade de mudança não tem a ver com máquinas, ferramentas, sistemas de gestão e qualquer outro aparato responsável diretamente pela fabricação de produtos ou desenvolvimento de serviços. É o caso de trocar os móveis de escritório, ação que, não raramente, fica renegada a um segundo plano nas prioridades dos gestores.

Em alguns casos, os gestores alegam não ser a hora da troca pelo fato do mobiliário corporativo ter sido comprado há poucos anos. Só que a qualidade de fabricação, as condições de uso e a falta de manutenção correta podem acelerar as necessidade de mudança.

Por isso, listamos aqui 7 sinais de que está na hora da sua empresa trocar os móveis de escritório.

Estética

É o mais básico e perceptível dos sinais. Nas mesas, principalmente se não for feita manutenção e limpeza corretas, os revestimentos dos tampos têm desgaste natural com o tempo em função de incidência de sol, contato de mãos, braços, papéis, equipamentos eletrônicos e outros artigos que são colocados em cima.

Faça uma verificação visual minuciosa dos tons dos tampos de mesas e avalie se há muita diferença. Se houver, é um aviso que está na hora da troca. Além disso, note se seus funcionários não estão escondendo manchas, riscos e lascados com calendários, revistas e outros itens que costumam ficar sobre a mesa.

Nas cadeiras, revestimentos puídos, desbotados, rasgados e pés descascados também denunciam que o produto já foi utilizado ao extremo.

Trocar os móveis de escritório ajuda a manter a empresa bonita e organizada.

 

Desarmonia no ambiente

Pare o que está fazendo e dê uma olhada geral para o ambiente de trabalho na sua empresa. Se há muitas cores, estilos e tamanhos diferentes dos móveis há algo de errado e sinaliza de que está na hora de trocar o mobiliário corporativo.

Com os anos, a empresa pode ter acrescentado novas peças que não tinham harmonia com as que já estavam e agora o ambiente ficou sem um estilo definido. Se não dá para trocar tudo de uma vez, planeje-se e opte, a partir de agora, por linhas versáteis.

Há no mercado linhas moduladas – que se encaixam e se complementam – e que permitem a inclusão de novas peças à medida que são necessárias mais pessoas no ambiente. A grande vantagem é que, por seguirem o mesmo padrão de design, cor e tamanho, os móveis modulados eliminam aquela impressão de ambiente improvisado.

 

Leia também:

Veja como ser criativo no trabalho

Dicas para manter o escritório sustentável

 

Usabilidade

Faça uma avaliação de quão fácil é o uso de seu móvel. Há acesso rápido e descomplicado aos periféricos, como tomadas e conectores? As mesas têm desenho que permite a fácil acomodação dos usuários, sem bater as pernas? Com essa análise, você pode até economizar, pois, na sala de reunião, por exemplo, as cadeiras não precisam de tantas regulagens como as que têm uso contínuo de 8 horas de trabalho.

 

Queda na produtividade

Este é um item que tem muito a ver com as cadeiras. Se os funcionários estão produzindo menos, experimente dar uma geral nas condições das cadeiras que eles utilizam. Rangidos, regulagens inadequadas e assentos e encostos duros podem gerar desconforto.

O reflexo costuma ser aquela mudança constante de posição, que afeta a concentração e, consequentemente, a produtividade. Se você tem dúvidas, pergunte aos funcionários se sentem algum desconforto. Cadeiras sem condições ideais de uso também podem gerar problemas de coluna, que é um dos maiores causadores de afastamento do trabalho.

Queda na produtividade pode ser indício de desconforto com os móveis.

Custo com manutenção

Regulagens e reapertos nos móveis de escritório são comuns e até recomendados. Mas, se mesmo depois disso, as mesas balançam, as cadeiras não param mais na regulagem desejada e as portas dos armários não se mantêm fechadas, está nítido que o mobiliário corporativo da sua empresa já foi ao limite.

Avalie você mesmo, ou com o seu departamento de compras, o quanto vem sendo gasto com a manutenção dos móveis de escritório. O valor pode ser surpreendente e indicar a necessidade urgente de troca do mobiliário. Além disso, há o custo de oportunidade, que é o quanto sua equipe financeira ou de compras está deixando de produzir em outras demandas por ficar constantemente resolvendo problemas com os móveis.

 

Funcionalidade e organização

Se o seu espaço de trabalho é um emaranhado de fios, extensões e fontes por todos os lados, chegou a hora de trocar os móveis de escritório. Hoje em dia, o mobiliário corporativo é uma ferramenta na organização, com mesas que até escondem os fios e tomadas elétricas em canaletas.

Além disso, se os seus móveis ocupam uma área enorme no escritório para abrigar poucas pessoas, é sinal de que parou no tempo. As atuais plataformas de trabalho acomodam até oito pessoas em espaços bem reduzidos.

 

Versatilidade

Aparador que pode abrigar frigobar; gaveteiro que serve para papéis e objetos, como bolsa e capacete; armários que podem ser usados como assento e servem a duas pessoas em cada posição de trabalho.

Na era da versatilidade, os móveis de escritório acumulam diversas funções e garantem praticidade aos usuários. Avalie se não está na hora de apostar em mobiliário corporativo com estes diferenciais.

Gaveteiro que serve como assento é uma das opções de móveis versáteis.

 

Imagem da sua empresa

E todos os sinais listados aqui têm a ver com o motivo principal para você avaliar a troca dos móveis de escritório: a imagem da sua empresa.

A qualidade e a aparência do mobiliário são facilmente notadas pelos visitantes, incluindo seus clientes. Cometer um descuido aqui pode propagar desleixo e arranhar a imagem de qualquer negócio.

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.