A Breve História do Escritório

A Breve História do Escritório

por Yuri Vasconcelos

Em uma ligeira viagem ao passado dos escritórios, períodos distintos se evidenciam e fatos curiosos pontuam a história dos espaços corporativos. A perspectiva ampla proporcionada apenas pelo distanciamento histórico, é possível entender como a cultura e avanços tecnológicos de cada época foram os principais agentes da transformação espacial do escritório.

Século XV e XVI – Ufizzi
Neste período humanista, os ‘gabinetes’ eram encontrados especialmente em edifícios monásticos ou associados à produção do conhecimento – como em residências de sábios ou nas primeiras universidades. Historiadores consideram o Palácio dos Uffizi (‘escritórios’ em italiano) o primeiro edifício administrativo do mundo. Localizado em Florença, foi construído por Giorgio Vasari entre 1560 e 1574, por encomenda da poderosa família Médici.
Curiosidade: Nesta época, os espaços administrativos eram relacionados à troca de mercadorias. Os produtos eram expostos no pavimento térreo, enquanto os andares superiores eram reservados às negociações entre mercadores.

Revolução Industrial – fim século XIX
Uma profunda mudança no modo de produção e o surgimento de muitas indústrias concorrentes impulsionaram uma série de estudos e doutrinas voltadas à racionalização e aumento da eficiência produtiva. Frederick Taylor se baseou na ciência para elaborar a teoria da eficiência produtiva no ambiente laboral. Organização, gestão do trabalho e configuração espacial dos locais faziam parte deste conceito. Taylor postulava que a segregação espacial era necessária para estabelecer diferenças hierárquicas, de modo a estimular a competição interna. O mobiliário era austero, padronizado por categorias de hierarquia. Eram organizadas de forma bastante rígida, quase um padrão militar para o escritório. Esta teoria é conhecida como Taylorismo.
Curiosidade: Neste padrão de ocupação, os funcionários do baixo escalão eram dispostos em um salão com pé direito alto. Os andares superiores, separados apenas por divisórias de vidro ou janelas, eram ocupados pelos cargos superiores, como gerentes e diretores. Tudo para estabelecer um controle constante sobre os trabalhadores. Foi nesta época que as divisórias ganharam o espaço corporativo.

Chicago – século XX: parte 1
Uma nova e ousada maneira de fazer arquitetura surgiu em Chicago, e mudou para sempre o mundo. Conhecida como a Escola de Chicago, arquitetos e engenheiros introduziram o uso de aço na estrutura das edificações, o que permitiu a liberdade criativa para subir as torres, criar plantas livres, descolar os pilares das fachadas e assim envidraçá-la. Foi o nascimento da arquitetura comercial. O célebre arquiteto Frank Lloyd Wright foi o primeiro a abraçar este novo modo de construir. Propôs layouts mais flexíveis de ocupação dos espaços corporativos, abriu grandes clarabóias sobre os trabalhadores, privilegiou todos os funcionários – independente de seus cargos -, e introduziu o ar condicionado para a climatização do ambiente.
Curiosidade: Foi no projeto do Larkin Building (1903) que Wright desenhou, pela primeira vez na história, mobiliário específico para o trabalho.

Planta livre – século XX: parte 2
A partir de 1950, vários padrões de ocupação surgiram. Enquanto o sistema Bull Pen de ocupação priorizava as chefias ao longo da periferia do andar, com os funcionários no miolo do pavimento, o sistema Executive Core era o inverso, com a chefia no meio. Esta última não teve muito sucesso. A solução Open Plan, o escritório de planta livre, inovou por apresentar excelente flexibilidade tanto individual como grupo de estações, e reduzia a opressão das diferenças hierárquicas. Na Alemanha, surgia o conceito do escritório panorâmico (Bürolanschft), onde a disposição das mesas seguiam layout mais orgânico, seguindo as demandas de fluxos de trabalho, comunicação e inter-relações pessoais, criando um aspecto mais humano no mundo corporativo. Era a derrocada do modelo Taylorista.
Curiosidade: Na década de 1960 as divisórias diminuíram de altura, de modo promover a integração no escritório panorâmico.

O escritório contemporâneo
A revolução tecnológica proporcionada pela informática provocou as principais alterações no modo de ocupação e organização do espaço de trabalho. O funcionário nem sempre tem sua estação única e exclusiva, já que pode realizar parte de seu trabalho em qualquer lugar. Muitas empresas não precisam mais de tanto espaço físico para acomodar os funcionários. Alguns trabalham em casa ou cafés com wi-fi, no horário que escolherem. Corporações novas seguem a tendência de tornar seus espaços mais descontraídos organizados em escritórios, com paisagem com pequenas salas de reunião e espaços de lazer, dando conforto aos colaboradores para obter maior produtividade em menor espaço. 
Mesmo com tantas pessoas trabalhando em locais alternativos, o futuro não deve reservar a extinção dos espaços corporativos, mas as empresas precisam aproximar o padrão de suas instalações com o dinamismo e padrão visual dos tempos atuais.

Para te ajudar: Como escolher a cadeira de escritório ideal em 7 passos

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.