Tendências para os escritórios pós-isolamento social: Confira o que deve mudar na organização das empresas

Tendências para os escritórios pós-isolamento social: Confira o que deve mudar na organização das empresas

Um dos pontos mais discutidos desde que a pandemia da Covid-19 atingiu todos os países é como que as relações de trabalho e as organizações físicas dos escritórios vão se configurar após a superação deste momento.

Neste sentido, o escritório de arquitetura e design Athie Wohnrath elaborou uma pesquisa com objetivo de mostrar tendências para o futuro dos escritórios ao fim da pandemia. Entre os dias 29 de abril e 8 de maio de 2020, o escritório enviou para líderes de sua base de clientes um formulário online com perguntas sobre o impacto da Covid-19 pós-isolamento social.

A Funcional Mobiliário Corporativo compilou os assuntos tratados na pesquisa, a fim de destacar resultados e apontamentos úteis aos profissionais e ao público interessado em organização de ambientes, design e comportamento dentro e fora das organizações.

Transformação digital: tendência acelerada devido à Pandemia

Um dos pontos mais importantes da pesquisa diz respeito à transformação digital pela qual o mundo vai passar após o isolamento social. Aderir às ferramentas e plataformas virtuais era uma tendência nos últimos anos que passa a ser agora uma tendência ainda maior devido ao isolamento imposto pela pandemia.

Os dados coletados revelam que 72% das empresas foram afetadas diretamente pelo isolamento. Os 28% que disseram não terem sofrido nenhuma interferência são formados por empresas que prestam serviços totalmente digitais ou organizações que já estão adaptadas à transformação digital de forma consolidada.

Home Office: deve continuar, mesmo após o fim do isolamento

Pela pesquisa, o home office deve permanecer com força nas relações de trabalho, mesmo após fim do período de isolamento social.

Até então, o home office era adotado por 75% das empresas pesquisadas em diferentes níveis de abrangência. Sendo que em cerca de metade dessas empresas o trabalho remoto era destinado para apenas 20% dos seus colaboradores e em 79% dos casos a frequência não passava de 2 dias da semana.

Os números devem mudar ao fim da pandemia, pois 92% das empresas dizem seguir com o sistema home office e 62% delas devem adotá-lo para mais de 20% de seus colaboradores.

Mudanças nas metragens dos escritórios: maior distanciamento entre as pessoas

Outro tema abordado na pesquisa são mudanças nos espaços físicos dos escritórios pós Covid-19. Apenas 15% respondeu que não pretendem fazer nenhuma mudança nos espaços dos escritórios. Das empresas que responderam positivamente, 75% pretende implantar as mudanças em até um ano.

O principal ponto levado em consideração nestas alterações é que 65% dos empresários planejam novos layouts com aumento do distanciamento entre os colaboradores. Ao mesmo tempo, 51% afirmaram que devem diminuir as áreas destinadas aos próprios escritórios por conta da tendência de adesão ao home office.

Por trás dos números: escritórios devem se tornar ambientes colaborativos e de enriquecimento cultural

Apesar de a distância física e a adesão ao trabalho remoto serem os apontamentos mais frequentes na pesquisa, o resultado da pesquisa também indica a importância do escritório se tornar um espaço colaborativo que permita maior engajamento e o melhor desenvolvimento de ideias e discussões entre os colaboradores.

Neste caso, o diálogo e espírito de equipe também devem ser estimulados com a adesão de ferramentas digitais que atendam a necessidade da interação e contato visual mesmo nas interações remotas ou virtuais.

O Coworking passará a ser visto com maiores ressalvas. A maioria dos entrevistados relata que não considera mais o Coworking como uma opção viável para as empresas, uma vez que o período que sucederá o isolamento será de grande preocupação com as questões sanitárias e de distanciamento social. Este modelo de trabalho perderá relevância no primeiro momento e será preciso ser repensado para garantir a higiene e a segurança aos seus usuários.

A grande maioria dos empresários respondeu que as áreas de escritórios da empresa devam ter algumas características do home office após o período da pandemia. A experiência dos colaboradores dentro de casa, em ambiente que transmite maior sensação de aconchego e conforto faz com que as empresas revejam suas instalações. 80% respondeu que os ambientes de convívio e trabalho vão sofrer alterações para se assemelharem com a experiência do trabalho remoto.

A Funcional possui soluções ideais para acompanhar as tendências após a crise do Covid-19

Os dados acima mostram o quanto a organização e o regime de trabalho das empresas terão rumos diferentes após o fim do isolamento social, com embasamento principalmente no trabalho remoto e no maior distanciamento entre as pessoas que compartilham o mesmo ambiente. A entrega de resultados e organização de ideias dependerá cada vez menos da reunião de pessoas em um espaço físico em específico. 

A Funcional Mobiliário Corporativo possui soluções para atender a nova realidade mencionada na pesquisa, com cadeiras e móveis para escritório adequados a ambientes home office e aos espaços nas organizações, com modulações e recursos necessários para garantir o afastamento dos colaboradores, a divisão de espaços com divisórias bem delimitadas, revestimentos para a adequada higienização do mobiliário e portfólio e acabamentos para ambientações que primam pela estética e conforto.

Saiba mais sobre home office e prevenção COVID nos espaços de trabalho:

 

Nossas lojas físicas e canais digitais, telefone, email e Whats App estão abertos para o atendimento dos clientes e dos lojistas interessados em contar com nossa linha de produtos em seus escritórios ou portfólio. A íntegra da pesquisa mencionada no texto pode ser acompanhada neste link. 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.